terça-feira, 27 de outubro de 2009

Chalita admite candidatura ao Senado e detona Serra

Recebido como um astro de novelas por quase 1,2 mil pessoas – em sua maioria professores –, que lotaram o salão da Luso de Bauru, o vereador de São Paulo Gabriel Chalita (PSB) admitiu ser candidato a senador em 2010 e fez duras críticas ao governador José Serra (PSDB), seu algoz e, segundo ele, responsável pela sua saída do PSDB.

Ao dizer que não iria fazer como a grande maioria dos políticos, que apesar de estarem em campanha explícita negam uma possível candidatura, a qualquer cargo, no ano que vem, Chalita respondeu de pronto quando perguntado se iria disputar uma vaga no Senado.

“Se eu puder ser candidato a senador, vou ser. Eu gostaria demais de ser candidato. Esse é o meu desejo”, disse.

Sobre o futuro do PSB, Chalita afirmou que o partido “certamente” terá um candidato a governador, seja o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), com o apoio do PT, ou o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

‘Esse governo não tem respeito’
Ex-secretário estadual de Educação na administração do tucano Geraldo Alckmin (2001 a 2006) , Gabriel Chalita não poupou palavras ao falar sobre a política educacional do governador José Serra (PSDB).

“Todos os programas criados na minha gestão foram abolidos. Esse governo não tem respeito com o professor”, atacou. “Eu sempre estive no PSDB defendendo escola de tempo integral, escola da família, escolas abertas no final de semana e o Serra acabou com isso. Se não acabou, diminui muito”.

Chalita comentou ainda o projeto aprovado na semana passada pela Assembleia que vincula o aumento salarial dos docentes da rede estadual ao desempenho em uma prova e ao histórico de faltas.

“Esse projeto coloca um aumento daqui a dois anos, até 20% dos professores, se passarem na prova e se tiverem dinheiro. Eu acho que ninguém tem o direito de enganar o professor e isso é uma enganação”, disse.

Vereador terá que defender mandato na Justiça
Gabriel Chalita adiantou sua linha de defesa no processo movido pelo PSDB na Justiça Eleitoral para reaver seu mandato. Os tucanos acusam Chalita de ter abandonado o partido.

“Vai ser uma linha de discordância programática. O PSDB sempre ouviu suas bases, mas eu, mesmo sendo o vereador mais votado do Brasil, não tive a menor possibilidade de refletir sobre as minhas propostas. O PSDB fechou as portas para a minha contribuição. O PSDB está nas mãos do governador [José Serra]”, criticou. “A história do PSDB não está sendo cumprida pelo atual comando do partido”.

Chalita afirmou estar preparado para subir no palanque do PSB em 2010, mesmo que o ex-governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político, seja candidato a governador.

“Tenho muito respeito pelo governador Alckmin, não sai [do PSDB] por causa dele, mas eu acho que você pode, em um processo eleitoral, estar em lados diferentes desde que haja respeito”, afirmou.

E foi mais longe: “Se o Ciro Gomes for candidato aqui, eu vou estar do lado dele no palanque”, completou, sobre a chance do deputado federal disputar o governo do Estado com o apoio do PT, como quer o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

0 comentários:

Postar um comentário

Ver e Rever Copyright © 2011 | Template created by Ver e Rever | Powered by Blogger