terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Aécio diz que terá conversa decisiva com Serra na sexta

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse ontem que terá uma conversa com o governador paulista José Serra (PSDB) que poderá ser decisiva à escolha do candidato presidencial do partido no próximo ano. Os dois governadores devem viajar juntos ao Piauí, para um seminário do partido sobre infra-estrutura, com a presença do presidente nacional tucano, senador Sérgio Guerra (PE), organizado pelo prefeito de Teresina, o tucano Silvio Mendes.

Aécio, que concorre com Serra em desvantagem nas pesquisas de opinião e na cúpula tucana, tem dado sinais de que pretende desistir da disputa no início de janeiro, caso não se chegue a uma decisão até lá. Ontem, Aécio voltou a demarcar distância de um projeto presidencial.

O governador lançou na convenção estadual do PSDB o vice-governador Antonio Junho Anastasia como seu candidato à sucessão, fechando a porta para a possibilidade de apoiar o ministro das Comunicações, Hélio Costa (PMDB), em uma composição que partiria da premissa da candidatura presidencial de Aécio. O apoio pemedebista agora não poderia mais envolver a cabeça de chapa. "O sentimento que existe no Estado é este que pode ser aferido pela aprovação do governo, pode estimular o PMDB a caminhar conosco", disse o governador, voltando-se para sua base.

"Minas sempre foi minha prioridade absoluta. A partir de janeiro, vou me dedicar integralmente à construção do palanque e rodar todo o Estado", afirmou Aécio em entrevista a jornalistas. Ao discursar, em meio ao coro de "Aécio presidente", o governador iniciou com uma reflexão sobre a política ser "um campo minado, onde os desencontros são mais presentes que os encontros". E permaneceu no tom regional.

"No que depender de mim, o Estado ficará com Anastasia nos próximos anos. É o candidato natural à minha sucessão e na vida política as coisas naturais são as que avançam. Não sei o que o destino me reserva, mas meu maior compromisso é com os mineiros. Quem quer Minas avançando terá uma única opção: o professor Anastasia", disse, para em seguida declarar solidariedade ao senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), com processo aberto pelo STF por suspeita de envolvimento em peculato e lavagem de dinheiro . "Tenho orgulho de ser correligionário dele", disse.

O governador terminou com uma profissão de fé tucana. "Vamos percorrer o Estado, não importa qual seja a minha posição no próximo ano. Sou um privilegiado, o PSDB é o meu ninho, é o meu lugar, é aqui que ficarei para quem sabe um dia possa levar ao Brasil uma mensagem de transformação". Ao discursar como virtual candidato, Anastasia afirmou que seu primeiro compromisso será de "lealdade absoluta" a Aécio. Estava ladeado pelo presidente da Assembleia Legislativa, Alberto Pinto Coelho (PP) e pelo presidente regional do DEM, deputado Carlos Melles , que disputam uma vaga na chapa majoritária em 2010.

Em São Paulo, o governador José Serra (PSDB), evitou comentar a pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem, que o coloca à frente dos demais candidatos na corrida presidencial. Serra diz que é cedo para analisar pesquisas de sondagens de voto para o próximo ano. "Eu não vou comentar. As pesquisas variam ao longo do tempo. Ainda é cedo do ponto de vista da eleição. Então olho com atenção [a pesquisa], mas deixo de lado qualquer comentário", afirmou ele. (Com agências noticiosas)

0 comentários:

Postar um comentário

Ver e Rever Copyright © 2011 | Template created by Ver e Rever | Powered by Blogger